OBSERVATÓRIO ARACAJU É UM MARCO NA ÁREA SOCIAL DO MUNICÍPIO.

 

Conhecer bem a população da cidade significa governar de forma mais justa e competente. Agora, a Prefeitura Municipal de Aracaju conta com uma importante ferramenta para auxiliar na gestão, principalmente na área social. Trata-se do Observatório Social de Aracaju, que é um estudo feito pela Secretaria Municipal da Assistência Social que mapeia a realidade dos habitantes do município.

 

Coordenado pelo economista Marcelo Cruz, que faz parte do setor de planejamento da Secretaria da Assistência, o estudo que resultou no Observatório levou um ano para ser finalizado e contou com uma equipe multidisciplinar. “A essência é produzir informações estatísticas, geográficas e cartográficas. Começamos com uma equipe pequena dentro da área de planejamento da secretaria, mas também envolvia Tecnologia da Informação (TI), estatística e economia. Esperamos que, com o crescimento do Observatório, a gente possa agregar demais profissionais, pois a multidisciplinaridade e a interdisciplinaridade é a essência do projeto”, afirma Marcelo.

 

As informações contidas no Observatório Social foram levantadas através do Cadastro Único, que é utilizado para a inserção e permanência em programas sociais. Através deste cadastro, também será possível realizar a atualização dos dados. Informações como número de jovens desempregados e/ou sem estudar, famílias em situação de vulnerabilidade e os bairros em que se concentram e vários outros indicadores fazem parte do mapeamento, que ilustra o mapa da pobreza e desigualdade social em Aracaju.

 

“Ao longo do tempo, a gestão municipal deixou de investir em dados técnico-científicos. Temos uma Secretaria de Planejamento que concentra algumas informações, mas esses dados não estavam contextualizados. O Observatório vem buscar essas fontes de informação e retomar a fundamentação científica a partir de dados estatísticos e geográficos. Muitas vezes a Prefeitura tem os dados, mas as informações não estão sintetizadas, por isso trabalhamos nesse sentido para organizar e dotar os gestores de informações e também melhorar a comunicação com a sociedade”, completa Marcelo.

 

Auxílio na gestão

 

“A informação é importante em todos os ciclos da gestão pública. Desde a parte do planejar, do pensar, até o processo de monitoração e avaliação dos resultados”, explica Marcelo. Um dos principais objetivos da criação do Observatório é produzir informações que auxiliem a gestão municipal na criação de políticas públicas para o município.

 

“Mais importante que a informação dada é a ação. Se tivermos um diagnóstico de um determinado problema social e não tivermos nenhuma ação que nos ajude a resolver, perde um pouco do sentido. A ideia é que o Observatório seja um repositório de dados sobre a questão da educação, características de infraestrutura domiciliar, trabalho e geração de renda, para que, a partir desses dados, a gente possa auxiliar as secretarias na elaboração dos seus projetos”, aponta.

 

Acesso

 

Além de auxiliar na criação de políticas públicas, as informações contidas no Observatório poderão servir para diversos fins. “Se um empresário precisa de uma informação para conhecer melhor a realidade do município, ou um acadêmico precisa de dados para sua pesquisa, ele terá tudo isso disponível. Trabalhamos nesta perspectiva de vários clientes que o Observatório pode estar atendendo e municiando com dados e informações”, observa Marcelo.

 

O professor universitário Rodrigo Reis afirma que a iniciativa da Prefeitura trará grandes benefícios. “Os bancos de dados e microdados são fundamentais para pesquisas científicas. A quantidade e qualidade dos dados trazem benefícios para que se possa formular análises científicas consistentes, tanto do ponto de vista quantitativo, quanto qualitativo. A iniciativa da Prefeitura de Aracaju, a partir do Observatório Social, pode viabilizar pesquisas que tenham relevância social, contribuindo, por exemplo, para os objetivos já formulados pela gestão, de promover a qualidade de vida da população aracajuana”.

 

Rodrigo ainda afirma que utilizará o banco de dados como fonte de pesquisa para seus projetos acadêmicos. “O interesse pela contribuição social da pesquisa científica é uma pauta na minha vida acadêmica e já realizo pesquisas nesse sentido, junto com meus orientandos. Agora, com dados secundários de qualidade sendo disponibilizados de forma transparente, poderemos realizar análises que tenham alinhamento com o processo social vivenciado pelo município e as contribuições podem ser ainda maiores. Ganha a população, a ciência e a própria gestão pública municipal”, finaliza.

 

Os dados estão disponíveis através do endereço eletrônico www.aracaju.se.gov.br/observatoriodearacaju ou código QR code disponibilizados em folders explicativos. Os arquivos disponíveis para download em formato PDF estão divididos em quatro categorias: Índice Cadúnico de Condições de Vida, Perfil Geral das Famílias do Cadúnico Municipal, Perfil das Famílias do Cadúnico do Santa Maria  e Mapa da Pobreza do Município de Aracaju.

 

Fonte: Faxaju.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *