Renúncias e desonerações são boas para quem?

 

Frase atribuída a Francisco Negrão de Lima, que comandou o antigo Estado da Guanabara, sintetizou a melancolia dos finais de governo, quando “até o cafezinho é servido frio”. Pelo visto, o presidente Michel Temer tem tomado muitas e intragáveis doses.

 

Somente o desinteresse, comum em final de mandato, fez com que não barrasse o rombo de R$ 23 bilhões em renúncias fiscais, para 2019, como alertou a Receita Federal dias atrás.

 

Conta que no próximo ano bate em R$ 306,4 bilhões, pelos cálculos encaminhados ao Congresso no Projeto de Lei Orçamentária Anual.

 

Leia a matéria completa,clique aqui.

 

Fonte:Jornal Estado de São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *